terça-feira, 27 de junho de 2017

O SEGREDO DE BELA


O SEGREDO DE BELA

Depois de cumprido o que considerava um dever – tentar convencer Tó Zé, o seu ex, a ajudar o filho de ambos – Nanda levou o Nero a passear.
Após ter comido e bebido, o pobre cão estava tão aflito que, mal se apanhou na rua, alçou a perna no arbusto mais próximo, não tendo já capacidade vesical para aguentar até à árvore que normalmente regava com os seus fluídos urinários.
Nanda ia de tal modo absorta nos seus pensamentos que nem se apercebeu de que estava a ser conduzida pelo Nero. Só quando sentiu uma forte pressão na trela se lembrou do local onde se encontrava e do que estava ali a fazer – a passear o cão.
Arrastada pelo animal, acabou por dar quase de frente com a vizinha do lado, também ela dona de um canídeo, mas do sexo oposto.
A Diana era uma cadelinha que vivia apaixonada pelo Nero, o qual correspondia, com fidelidade canina, a esse amor.
Feitos os cumprimentos, das donas e principalmente dos seus estimados animais, estes, com encostos de focinhos e outras expressões de afecto, preparavam-se para ir mais longe nas suas manifestações, mas foram severamente interrompidos pelas respectivas donas que, de momento, não tinham muito tempo para lhes permitir grandes efusões.
Puxando-os com força pelas trelas conseguiram que se afastassem. Os pobres animais, contrariados, tiveram que obedecer, mas ficaram olhando para trás, mirando-se um ao outro, com um ar muito desconsolado e infeliz.
De regresso a casa Nanda deu uma arrumadela às roupas que usara no dia anterior, compôs a cama, passou pela cozinha e pela sala, e, considerando que tudo estava mais ou menos apresentável, apressou-se a ir tomar um refrescante banho e vestir roupas elegantes para ir encontra-se com a Bela.
Já estava ligeiramente atrasada.
Assim, quando chegou ao “Caminho de Casa” a amiga já a aguardava.
Abraçaram-se efusivamente e, depois de uns ruidosos beijos, escolheram uma mesa e sentaram-se.
A conversa só foi interrompida para encomendarem o almoço. Escolheram salada para ambas já que andavam a tentar perder peso.
Nem uma nem outra precisava disso, mas preocupavam-se com umas gordurinhas embirrantes que teimavam em alojar-se “naquela zona da cintura”. Sonhavam voltar a ter as “cinturinhas de vespa” dos seus vinte anos…
Falaram de tudo e de nada, como se há muito tempo não se vissem.
Esqueciam-se que conversavam todos os dias, faziam caminhada juntas, e de vez em quando encontravam-se para almoçar. Mas nunca lhes faltava assunto.
Nanda pôs Bela ao corrente dos últimos acontecimentos, dizendo-lhe como se sentia baralhada com tudo o que lhe estava a acontecer.
- Só para veres como estas coisas me estão a afectar… imagina que até
comecei a pensar na hipótese de ir trabalhar com o TóZé, aquele traste!
- Bem, na verdade isso mostra que a tua cabeça anda à razão de juros. Espero bem que tenha sido apenas um pensamento passageiro, e que não leves isso a sério…
- Não, claro que não; nem que o Tó Zé fosse o último homem no mundo eu quereria estar perto dele!
E continuaram conversando animadamente.
Sendo ambas divorciadas, sem ter que dar satisfações a ninguém, às vezes iam para a “night” beberricar uns copos e divertir-se.
Foi o que combinaram fazer. À noite, depois de comerem qualquer coisa, encontrar-se-iam e iriam para a paródia.

À hora combinada lá estavam elas, “vestidas para matar” e lindamente maquilhadas. E alegremente passaram umas horas nos locais já conhecidos de ambas, onde sabiam poder estar sossegadas, sem correrem o risco de serem mal interpretadas e sofrerem dissabores.
Ouviram música, beberam sem exagero, e ainda deram um “pezinho de dança” com conhecidos de outras vezes que lá tinham ido.
Quando se sentiram satisfeitas regressaram, e, próximo de casa, despediram-se com um “até amanhã”.
Nanda entrou no seu apartamento, tirou os sapatos, trocou a roupa pelo pijama e, como ainda não tinha sono, apesar da hora adiantada, quase de madrugada, foi para a sala.
Ligou a música em tom baixo, e abriu a porta do bar, do lado direito do aparador. Olhou, procurando a bebida que iria beber. Não lhe apetecia muito um licor – àquela hora não queria uma bebida doce. Optou por Whisky. Serviu-se, foi à cozinha buscar gelo, e, à média luz, recostou-se no sofá.
De olhos fechados deliciava-se ouvindo a música suave, tomando um gole de whisky, vagarosamente. Sem opor resistência, como num sonho, deixava-se embalar por aquela quietude.
Lentamente, como que a levitar, encaminhou-se para a janela e olhou lá para fora. Na semi claridade do alvorecer avistou, na praia, um vulto que lhe pareceu familiar.
Mas… Não! Não podia ser verdade! Aquela figura que caminhava na praia, a princípio apenas difusa, à medida que se aproximava… sim, não havia dúvidas! Era o Luís. Mas porque andaria ele na praia, àquela hora matinal?

Na longínqua linha do horizonte vislumbravam-se já os primeiros rubores da alvorada, anunciando mais um dia de sol e calor.
Na praia, Luís, descalço na areia fria, um ar desalentado, ombros descaídos, no rosto bronzeado as fundas olheiras denunciavam uma longa noite de insónia.
Com visível esforço ia caminhando lentamente quando, inesperadamente, avistou o seu irmão André.
Este, alegremente, aproximou-se em passo rápido para saudar o irmão; mas imobilizou-se ao atentar bem no aspecto de Luís. Com ar de espanto, exclamou:
- Eh! Pá, estás cá com uma cara que mete medo ao susto!
- Não me digas nada, pá. Nem imaginas o que me aconteceu.
- Não, não posso imaginar o que te pôs nesse estado! Viste algum fantasma?
- Bem pior do que isso… mas antes diz-me: o que fazes tu aqui na praia a estas horas, com esse ar tão feliz? Ainda mal nasceu o dia…
- Eu conto, sim, mas depois. Primeiro quero saber de ti.
Nanda abria a boca de espanto. Como era possível? O seu filho André vivia na Suíça, com a Silvana: o Luís ainda ontem estava no Algarve, acabara de ser pai… A que propósito estavam os dois ali na praia, conversando como se se tivessem visto na véspera?
Resolveu continuar a prestar atenção à conversa dos dois irmãos.
- Tudo bem, então eu falo primeiro – respondeu Luís.
Ontem, para festejar o nascimento do meu filho (a mãe contou-te… penso eu) fui com uns amigos beber umas granjolas. A certa altura o Xico (lembras-te dele…) propôs que passássemos para bebidas mais fortes. A ocasião até justificava… e todos concordaram.
Já estávamos bem bebidos quando entra no bar um grupo de mulheres, todas em grande risota. Depois de ligeira hesitação, cochicharam e dirigiram-se para a nossa mesa. Imagina quem fazia parte do grupo… A Bela!
- O quê? A Bela, amiga da mãe?
- Claro! Conheces mais alguma Bela?
- Não. Mas continua.
Neste ponto Nanda sentiu-se desfalecer. Bela, a sua melhor amiga, num bar “daqueles”? Não podia ser. O seu filho Luís devia estar completamente bêbado e tinha-a confundido com uma galdéria qualquer!...
Com esta ideia recuperou a calma e continuou ouvindo a conversa. Luís dizia:
- Sentaram-se ao pé de nós e pediram bebidas iguais às nossas. Não sei quanto tempo depois disseram que se iam embora, e ali mesmo se formaram casais… A mim calhou-me a Bela.
- O quê? Estás a brincar!...
- Antes estivesse… Mas não estou, aconteceu mesmo. Fui com a Bela para casa dela. Levou-me para o quarto e… enfim, podes imaginar o que se seguiu. Tu conheces a Bela…
- Conheço, conheço…
- Sabes que ela consegue ser espantosa! Mete-te no coração e tu nem te atreves a reagir…
- Lá isso é verdade…
-Pois então! Quando dei com aqueles olhos líquidos, que prometiam delírios, a fixarem-me intensamente, quando me senti docemente envolvido nos seus braços, a Bela desprendeu-se, foi até à porta do quarto, abriu-a, e, em altos brados, exclamou:
- SURPRESA!
Foi mesmo uma surpresa, uma enorme surpresa!
Afastando-se para o lado apresentou-me uma mulher horrenda!
Não era ainda velha, mas feia como a noite dos trovões! Um olho abaixo e outro acima, mirando cada um para seu lado, a boca torta, desdentada, ostentando um sorriso alvar. Só lhe faltavam os pêlos no nariz para ser uma autêntica bruxa, saída de um conto de Andersen.
- E qual foi a tua reacção?
- A princípio fiquei sem acção. Mas quando vi o riso de escárnio e gozo na cara da Bela… atirei-me – literalmente – pela janela, meti-me no carro, e vim para aqui. Sabes como o mar é para mim um calmante…
- Razão tens tu para estar com esse aspecto horrível…
- Digo-te, foi a pior experiência da minha vida. Mas diz-me tu agora: com esse ar tão feliz…onde passaste a noite?
- Eu? Eu… passei a noite com a Bela.
Excerto do meu projecto literário com o título (provisório) “ Segredos”.

Maria Caiano Azevedo

60 comentários:

Kr. Eliane disse...

Olá Mariazita:
foi muito bom passar por aqui, conhecer mais um pouco de seu grande talento .. uma escritora admirável..
muito agradável ler um conto seu !!
desejo que tenha uma semana. grande abraço !!
:o)
Eliane

Pedro Coimbra disse...

Imaginação que conduz a grandes surpresas.
Boa semana

Franziska disse...

La sorpresa final llega y te deja con la boca abiertas, son historias tristes de cama entre hombres y mujeres que no conducen a otra que a la mayor frustracción, en mi opinión, solo el amor tiene belleza, las historia de sexo, no. Las historias de sexo son prácticas, igual que una comida cuando tienes hambre: comes cualquier cosa y te olvidas de ello, hasta la próxima vez.

Hacía tiempo que estaba echando de menos sus historias. Un abrazo desde Alcalá de Henares. Franziska

✿ chica disse...

Como sempre, mais um texto bem escrito que nos leva a imaginar....Gostei muito de ler! bjs, tudo de bom,chica

Lúcia disse...

Seu projeto promete grandes emoções: um tiângulo amoroso com uma Bela e duas Feras! Essa pequena amostra já desperta o interesse em imaginar o que está por vir! Muito bom, Mariazita!

Ivone disse...

Nossa, a surpresa foi de arrasar, rsr!
Muito bom seu conto, amei ler!
Abraços apertados!😍😚

Daniel Costa disse...

Querida amiga Mariazita
Pelo que já vais desvendando, o projecto literário tem pernas para andar. Bom este capitulo, com todos os ingredientes, para "amarrar o leitor. Vamos esperar para ver, o vai acontecer aos comportamentos dos comparsas.
Beijos com a amizade de sempre.

Berço do Mundo disse...

Mariazita, deixou-me meio confusa com tanta reviravolta. Os rapazes que conversam na praia são filhos da Nanda e tanto um como o outro estão a envolver-se com a amiga da mãe, ou seja, alguém com idade para ser sua mae?
Isto não vai acabar bem! Aguardo desenvolvimentos
Beijinho
Ruthia d'O Berço do Mundo

Beatriz Bragança disse...

Querida Mariazita
Uma romancista fenomenal, sempre a surpreender-nos com o desfecho!
Muito gosto eu de a ler! Continue, por favor.
Um beijinho
Beatriz

Antonio Machado disse...

Gostei do texto -ele prende, surpreende... O livro promete!

Carla Ceres disse...

Oba, livro novo, em preparação! Essa história prende a gente, Mariazita. Já sei que vou gostar. Você recebeu meu e-mail com um comentário sobre seu livro da África? Talvez esteja entre o spam. Beijinhos!

Odete Ferreira disse...

Bem escrito e com os ingredientes necessários (e doseados) para atiçar a curiosidade, este excerto prova que o projeto literário terá sucesso garantido.
Parabéns, amiga!!!
Bjinho

Smareis disse...


Que linda essa história Mariazita. já me segurou no começo, muito bem construída. Esse conto promete. Fiquei curiosa.
Uma imagem tão bonita. Difícil ver um calçadão tão limpo assim.
Beijos e boa semana!

Ana Tapadas disse...

Queremos esse projecto concluído! Narrativa muito interessante.
Bj

Agostinho disse...

Antes de chegar ao fim pensei: isto vai dar romance pela certa!
Pois e et cetera!
Bj.

Portugalredecouvertes disse...

Oh Mariazita tem mesmo muito talento para brincar com as palavras, e com a surpresa de quem lê os seus textos ! um conto que têm muita leveza e o assunto é quase ao estilo do Hitchcock !
abracinhos Mariazita
gostei de passar por aqui !
Angela

Emília Pinto disse...

Querida Mariazita, quando comecei a ler esta história nunca imaginei que se desenrolasse desta maneira. "SURPRESA " foi também para mim e vai ser muito interessante ver como vais resolver este " problemão ", principalmente para a mãe dos rapazes. Mas isso é tarefa tua e vais sair-te muito bem. Parabéns, amiga! Um beijinho e que a serenidade e saúde sejam uma constante nos teus dias.
Emilia

Majo Dutra Rosado disse...

Um mundo muito diferente do que estou habituada a viver, assim como
os meus relacionamentos...
Para mim, são novidades e o segredo de Bela pode ser uma surpresa interessante...
~~~ Beijinhos ~~~

Maria Glória disse...

Só quero saber da continuidade desta história tão envolvente, criativa e com tanta riqueza de personagens e situações. Amiguita, tu sabes me prender numa história, é vero, tu sabes. Então a Bela é danada, e mais uma vez, vejo que segredos sempre dão um jeitinho para serem revelados. Sempre pensamos que são as pessoas que não guardam segredos, mas não é assim, os segredos tem vontade própria, não se seguram ahaha. Eu não sou lá de querer saber de segredos, por vezes, prefiro nem saber... mas o segredo de Bela, quero saber inteiro ahahaha.
Aguardo o próximo capítulo! Mas por hora, deixo muitos beijinhos e muitos abracinhos e uma boa noite.

Elvira Carvalho disse...

Um texto muito interessante. Gostei da surpresa, e gostaria de ver esse projeto pronto e editado.
Um abraço

Lilazdavioleta disse...

Sempre criativa e óptima escrita .

Aguardo seguimento , com interesse !

Beijo grande , Mariazita ,
Maria

Nequéren Reis disse...

Lindo texto amei, obrigado pela visita.
Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Gaja Maria disse...

Gostei tanto :) Beijinhos

Fátima Oliveira disse...

Sabes como prender nossa atenção e nos surpreender, essa Bela é uma danadinha, quem diria hein?
Beijos.

Ana Freire disse...

Essa Bela... é uma caixinha de surpresas...
E pelo que vejo... será a protagonista de um futuro livro... espero eu...
Adorei o texto, Mariazita! E agora, também eu fiquei cheia de curiosidade, relativamente aos segredos de Bela...
Beijinhos! Continuação de uma feliz e inspirada semana...
Ana

A Casa Madeira disse...

Engraçado de que como o segredo se espalha k,
e vira livro! k
O que será que ela esconde...
Nossa e já estamos no final de mês novamente.
Abçs.

Liliane de Paula disse...

Oi Mariazita,vi seu comentário lá no meu blog e vim lhe conhecer.
Mas como você tem mais de um blog, vou vê qual o que vou acompanhar.

Não sei quem é Miguel.
Aliás, os 3 homens que comentam no meu blog, são os que postam só sobre filmes.
Mas, quem é esse Miguel?

Liliane de Paula disse...

Voltei Mariazita, será um prazer acompanhar seu blog.
Imagino que seja difícil manter atualizado mais de um blog.
Só tenho esse há 13 anos, com a mesma aparência.
Gosto de acompanhar os blogs de quem me acompanha.

Quanto aquelas fotos lá de "seguidores" a maioria nunca leu meu blog. E não considero que me acompanhe, porque nunca me visitou.

Não lembro mesmo quem é Miguel.
Certamente colocou o nome ali e desapareceu.

Duarte disse...

Estou inquieto, quero saber mais. E a surpresa!...Isto promete.
Tem qualidade literaria e possui o dom de enganchar, um factor preponderante numa obra que pretende contar coisas.
Abralos de vida, querida amiga

Maria Glória disse...

Mariazita, vim retribuir a abada de abracinhos, com muito carinho querida amiga.
Por aqui, também temos muitos pássaros e eles entram dentro da minha casa, por muitas vezes, o meu marido precisa ajudá-los para voarem além da janela e porta. A vida na natureza é muito relaxante e com muita qualidade. Mas sabe que eu sinto falta das grandes cidades? Não estou muito longe da cidade de São Paulo, afinal lá eu nasci e gosto da cidade. Sempre muito acolhedora, há por lá locais incríveis para ser viver.
E desejo-lhe um ótimo final de semana, ensolarado e alegre.

Graça Pires disse...

Muito bem narrado. Ficamos com imensa curiosidade para ler o resto. Esse livro promete...
Um beijo.

Maria Rodrigues disse...

Minha amiga uma brilhante narrativa que nos prende e nos deixa cheias de curiosidade para ver o evoluir da história.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Minhas Pinturas disse...

Ola amiga já estou curiosa pelo final deste rolo que o rapaz viveu.
Beijinhos, Léah

Regina Magnabosco disse...

Hummm... já estou curiosíssima para a continuação desta história. Parabéns, Mariazita. Admiro sua capacidade e disciplina na escrita.
Beijos!

Amélia disse...

Gostei muito de ler esta bela narrativa, achei brilhante.
Boa continuação
Beijinhos

O meu pensamento viaja disse...

Uma bela narrativa, plena de realismo.
Beijinhos

Zilani Célia disse...

OI MARIAZITA!
TENS MUITO TALENTO COM AS LETRAS, PARABÉNS AMIGA.
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Jaime Portela disse...

Uma história bem contada, com uma narrativa bastante apelativa, e com um final (interrupção) surpreendente.
E agora fica toda a gente a gritar que quer ler mais e mais...
Assim sendo, esse teu projecto literário só pode ser um sucesso.
Bom fim de semana.
Beijo.

Ana Freire disse...

Passando para deixar um beijinho, e os meus votos de um excelente fim de semana...
Ana

PARAÍBA PARA O MUNDO disse...

Olá, quanta criatividade, uma bela narrativa, curiosidade não vai faltar para ver o final, creio q será bem interessante. Gostei muito . Feliz final semana
bjs no coração.

Vera Lúcia Verinha disse...

A todos os amigos:
A nossa querida Leninha se submeterá a uma segunda cirurgia (já prevista desde a primeira), nesta Segunda-Feira, dia 10.
Apesar da delicadeza do momento, ela se mantém tranqüila, confiante, em paz.
Além das orações e do apoio dos amigos aqui de perto, gostaríamos de contar com as preces de todos vocês que sempre a apoiaram em todos os momentos.
Que Deus recompense a cada um!
Vera Lúcia

Evanir disse...

Querida Mariazita.
A longa data não tenho feito visitas
minha ausência tem doido muito para mim.
Fui sempre tão presente por vezes nos decepcionamos tanto ,
perdemos a vontade de prosseguir .
De repente bate tão forte a saudade
sai em busca da eterna amizade que plantei um dia com tanto amor.
Minha amiga.
Deixo aqui meu carinho e toda minha saudades.
Te abraço com carinho.
Evanir.

Helena Medeiros Helena disse...

Mariazita, minha querida, vim especialmente para agradecer por tudo de bom e bonito que espalhaste ao longo do meu caminho. Tu és uma amiga muito preciosa ao meu coração.
Quero deixar-te um abraço bem aconchegado entre os sorrisos e as estrelas que o meu olhar envia ao teu, desejando que tu realizes todos os projetos e sonhos que estão abrigados no teu coração.
Receba meu carinho num beijo que deposito nas tuas mãos,
Leninha

O Árabe disse...

Sonho? Realidade? Quem sabe? O que salta aos olhos é que é mais um texto muito bem escrito, amiga! Gostei imensamente! Boa semana, fica bem.

Ana Martins disse...

Bela narrativa, Mariazita, um excerto que aguça o apetite do leitor, a julgar pelo que li, é um projecto literário de valor e com pernas para andar.
Parabéns e um beijinho.

Josefa disse...

Un buen relato que me ha encantado, sobre todo el final.
Me quedo con ganas de leer más.
Me encanta leer los post de los blog. Actualmente visito poco a mis amigos@
pues pierdo el tiempo en otras redes sociales nada comparables con los blog de mis amigos@ entre los que te incluyo.
No dejes de escribir prometo pasasr más popr aquí.
Un beso.

Jaime Portela disse...

Vim à procura de mais...
Mariazita, um bom fim de semana.
Beijo.

Zizi Santos disse...

Olá Mariazita
uma excelente crônica, onde a personagem Bela
entonta dois irmãos. Fico curiosa com o desfecho,
pois o mundo das mulheres contem muitos segredos e histórias
para contar !
um feliz domingo para você !
beijinhos

Maria Rodrigues disse...

Passando para desejar um excelente fim de semana
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Ceciely disse...

Un buen proyecto literario Mariazita. Sus historias tienen fuerza y espectativa.
Abrazo grande. Que pase un feliz verano.

Inês disse...

Gostei de ler o texto, fica aquela vontade de continuar a ler! :) Beijinhos
--
O diário da Inês | Facebook | Instagram

O Árabe disse...

Boa semana, Mariazita! Aguardo o próximo post.

amartaeumblog disse...

Olá, Mariazita. Obrigada pela sua visita. Volte sempre! :)
Aqui estou eu, a retribuir.
Gostei muito da sua escrita, os meus parabéns.
1 beijinho d'

A Marta

Berço do Mundo disse...

Passei para ver se havia novos episódios da história, aproveito para deixar um beijinho
Ruthia d'O Berço do Mundo

Antonio Pereira Apon disse...

Muito bom mesmo. Narrativa que envolve, prende nossa atenção e surpreende.

Um grande abraço.

Ana Freire disse...

Passando para deixar um beijinho, e os meus votos de continuação de uma boa semana!...
Tudo de bom!
Ana

Smareis disse...

Passei pra deixar um abraços e ver se tinha atualização.
Deixo um beijo, sorrisos e desejo de boa semana Mariazita.
Escrevinhados da Vida

Larissa Pereira dos Santos disse...

Olá, que lindo conto, parabéns!
Primeira vez aqui, fiquei encantada!

Bjs Larissa de:

minhaliteraturinha.blogspot.com.br

Jaime Portela disse...

Eu quero ler a continuação...
Mariazita, um bom fim de semana.
Beijo.

AMBAR disse...

Buenas tardes Mariazita.
Llego pra disfrutar de este tu relato, muy ameno e interesante.
Un buen fin de semana y un abrazo.
Ambar